Cirurgia Plástica e tratamentos

Aumenta o número de residentes brasileiros da Flórida que vão a São Paulo em busca de rejuvenescimento
Muitos brasileiros que moram nos Estados Unidos estão sendo obrigados a mudar a fotografia do passaporte para não enfrentar problemas com a imigração. Dezenas deles – homens e mulheres – tem viajado até São Paulo para cirurgias ou tratamentos. Como rejuvenesce o rosto ou ganha um novo cabelo, são obrigados a trocar a foto do passaporte.

Quem relata esse fato acima é o cirurgião Paulo Keiki R. Matsudo, diretor científico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, com 20 anos de experiência e já tratou de pelo menos 120 brasileiros que residem nos Estados Unidos, a maioria da Florida – mas há também pacientes de Nova Iorque e até da Califórnia. Ele tem duas clínicas especializadas em São Paulo e também o Centro Internacional de Tratamento da Calvíce.
O Cirurgião explica que a ida ao Brasil compensa: pelo preço (geralmente é a metade do valor cobrado nos Estados Unidos), pela qualidade do tratamento com equipamentos e e produtos de alta tecnologia, sem risco de infecção hospitalar, além do calor humano, “pois lá o paciente não é um número”, compara.

Paulo Matsudo tem grande projeção profissional. Ele foi o responsável pelo desenvolvimento do Botox para tratamento de rugas da face e da região da testa, eliminando o movimento do músculo. O médico paulista apresentou este trabalho durante o congresso internacional realizado em Nova Iorque, no ano passado, obtento total aprovação dos especialistas. “ A partir daí ocorreu uma verdadeira explosão do uso do Botox numa grande quantidade de Países”, relata.

O médico conta que fez pesquisa durante um ano com pacientes que tinham rugas, sendo 75 mulheres e 25 homens. “98% deles ficaram satisfeitos com os resultados, sem nenhuma complicação. Todos foram fotografados mês a mês para mostrar a evolução. Os únicos 2% que não gostaram foi porque tem medo de agulha, mesmo assim aprovaram o resultado”.

Em Dallas, onde foi participar de um congresso nacional americano de cirurgia plástica, realizado de 9 a 13 de novembro,  novamente o médico paulista falou sobre a introdução do Botox no tratamento de beleza.  Ele também tem sido convidado para participar de cirurgias plásticas em grandes hospitais dos Estados Unidos. Além do Botox, Paulo Matsudo desenvolveu uma técnica de transplante de cabelo que tem dado bons resultados. “ Fazemos um trabalho artesanal, fio a fio, que dá um acabamento perfeito , natural”.

O especialista também disse que a lipoaspiração tem tido uma grande procura, além da utilização do laser para se fazer o “ressurfacing”. “São associações de técnicas, produtos e equipamentos que dão excelentes resultados” garante.

Só para se ter uma idéia, 500 mil plásticas são realizadas no Brasil durante o ano.  “Felizmente temos o grande professor Ivo Pintangui. Com sua capacidade ele colocou o Brasil à frente nessa especialidade. Por isso muitos cirurgiões plásticos do Brasil tem se destacado no exterior”, observa Paulo Matsudo.

Fonte: Florida Review