Excesso de sol causa rugas até em jovens

Mulheres cada vez mais jovens estão procurando os dermatologistas atrás da solução de um problema: surgimento das primeiras rugas. O motivo é o excesso de exposição ao sol.

Segundo o cirurgião plástico Paulo Matsudo, mulheres entre 25 e 30 anos tem se preocupado com os primeiros sinais do envelhecimento. “Elas queixam-se de manchas e pés-de-galinha”, diz Matsudo.

De acordo com o médico, o ideal é prevenir, evitando o excesso de sol e usando um bom filtro solar desde cedo e diariamente.

“Mas se o estrago já foi feito, há tratamento para acabar com as rugas de expressão, manchas e imperfeições da pele”, afirma.

De acordo com Paulo Matsudo, há dois tipos de rugas. As que se devem ao cronoenvelhecimento, causado pelo tempo, e as decorrentes do fotoenvelhecimento, causado pelo sol.

Contra aquelas causada pelo cronoenvelhecimento há pouco a fazer. “Mas contra o fotoenvelhecimento há tratamentos bastante eficazes”

Os fibroblastos são células da pele que produzem colágeno e elastina fibras que dão susstentação e elasticidade.

O sol faz com que os fibroblastos perca sua capacidade reprodutiva. Quanto mais claro for a pele mais afetados ficam.

Os tratamentos à base dos alpha hidroxiácidos recuperam a capacidade reprodutiva dos fibroblastos.

O glicólico, aplicado diariamente, faz a pele descamar, o que gradativamente vai eliminando as imperfeições. Durante o tratamento a pessoa não pode tomar sol com a substância sobre a pele.

Os pellings (esfoliantes) são substâncias aplicadas sobre a pele, durante alguns minutos, dependendo da indicação. São produtos agressivos, que produzem irritação. A pele elimina as imperfeições e pode readquirir sustentação e elasticidade.

Outro tratamento é o da toxina botulínica, injeções com agulha muito fina, de 4 milímetros, que bloqueia os músculos e consequentemente, as rugas.

Caso as rugas sejam muito destacadas, pede-se também fazer a injeção de gordura autógena (do próprio organismo) ou colágeno bovino, o incoveniente é que estas substâncias são reabsorvidas pelo organismo e tem que ser retocada periodicamente.

Outro recurso, ainda, diz Paulo Matsudo, é recorrer à cirurgia plástica tradicional, indicada principalmente para o cronoenvelhecimento.

Tratamento tira manchas e rugas da face

Isabel Nogueira fez aplicação de ácido glicólico em casa.

A bancária Isabel Nogueira, 37, fez tratamento, entre novembro de 94 e agosto de 95, para retirar manchas, acnes e eliminar rugas e imperfeições da pele.

As manchas em seu rosto, de causa desconhecida, eram agravadas pelo sol. O cirurgião plástico Paulo Matsudo indicou para Isabel um tratamento a base de ácido glicólico.

De acordo com Isabel, as manchas praticamente desapareceram após a primeira aplicação. “Depois do tratamento minha pele recuperou o brilho, o tônus (tensão), a maciez”.

Isabel diz que, durante toda a adolescência, sempre tomou sol. “com moderação é lógico. A minha pele é clara, mas ela ficava bonita bronzeada quando tomava sol”.

Agora diz tomar cuidados. Usa sempre filtro solar. Quando vai a praia usa chapéu. Não fica ao sol. Evita qualquer exposição nos horários críticos, entre 10 e 15h.

“Você têm que fazer uma opção na sua vida”, diz Isabel, que se considera vaidosa. “Mesmo quem não tem vaidade tem que se cuidar. É uma questão de saúde”.

De acordo com Isabel, o tratamento com ácido glicólico não causou dor ou irritação na pele.

“Ela escama bastante e repuxa um pouco, mas é só”, diz.

De acordo com Paulo Matsudo, para que os tratamentos dêem certo, a pessoa tem que ser muito disciplinada. “Eles podem durar meses, até que os efeitos possam ser sentidos”.

Fonte: Dr. Paulo Keiki Matsudo