Falta de informação gera complicações

Após três gestações que lhe renderam 25 quilos a mais, a professora Maritelma de Siqueira, 37 anos, insatisfeita com seu corpo, resolveu recorrer à cirurgia plástica para sentir-se melhor. Maritelma passou por duas intervenções cirúrgicas, uma abdominoplastia e uma mamoplastia, e uma lipoaspiração nas costas e coxa. No entanto, as cirurgias não conseguiram atingir o resultado esperado.

A primeira cirurgia, feita no ano 2000, custou R$ 7 mil para a retirada do excesso de pele da barriga e o levantamento da mama. “Gostei do resultado da mama, mas do abdômen não fiquei completamente satisfeita. O médico foi omisso em relação ao pós-operatório, tive algumas complicações com os pontos e não gostei da cicatriz, que ficou muito grossa”, revela a professora.

Na segunda operação, que custou R$ 3 mil, a insatisfação foi maior. “Nessa segunda vez achei que o médico agiu de má fé comigo, porque eu estava acima do meu peso e ele chegou a dizer que eu teria bons resultados. Durante o operatório passei mal e o pós operatório foi pior ainda, tive muitas dores e tive que fazer drenagem três vezes por semana. Foi terrível, fiquei muito inchada e com muitas marcas roxas”, desabafa.

Mesmo com as duas tentativas frustradas, Maritelma pretende voltar à mesa cirúrgica para refazer a cirurgia do abdômen. “Só pretendo refazer esta cirurgia quando estiver com o peso bem próximo do ideal, porque percebi que só assim o resultado é valido”, acrescenta. A professora ainda recomenda que toda cirurgia plástica seja feita com cautela, já que é algo que fará bem a auto-estima. “A operação deve ser feita com um médico responsável, cuidadoso e o paciente deve seguir as orientações devidas”, finaliza. (Colaborou Natália Fernandjes)

Fonte: Reporter Diário